Netflix: uma gestão empresarial inspiradora.

 

Presente no dia a dia de mais de 100 milhões de assinantes e com uma receita de aproximadamente U$ 2,64 bilhões, é seguro dizer que a Netflix chegou para ficar. Mas ao contrário do que pode parecer, a plataforma não é uma novata no mercado: foi fundada em 1997, como um serviço online de aluguel de filmes. E a sua trajetória até chegar na marca bilionária é uma verdadeira lição de gestão.

 

Adaptar para crescer

 

Tudo começou com uma ideia dos fundadores Reed Hastings e Marc Randolph, que aproveitaram o lançamento da tecnologia de DVDs para criar um site de aluguel de filmes em que o cliente podia ficar com o filme pelo tempo que quisesse e depois reenvia para a Netflix sem custos.

A ideia foi um sucesso, mas as contas não andavam lá essas coisas. Em 98, uma proposta de compra de 12 milhões feita pela Amazon foi recusada. Em 2000, um episódio que já entrou para o folclore do mundo dos negócios: a Netflix se oferece para a Blockbuster por 50 milhões, mas foi recusada.

O grande salto da Netflix aconteceu depois que um dos seus concorrentes, a Amazon, lançou a Amazon Video, dando origem ao serviço de streaming, dando acesso imediato ao conteúdo. 4 meses depois, a Netflix adotou o formato e começou a história bilionário que conhecemos hoje.

 

Cultura Netflix

 

Profissionais da área costumam dizer que “a Netflix revolucionou a gestão de pessoas”. A verdade é que a cultura empresarial da empresa possui uma abordagem inovadora em relação ao seu talento humano.

Em 2009, a Netflix publicou um manifesto em que apresentava os pilares da sua cultura organizacional. Os 7 principais são:

 

  1. Valores são comportamentos e habilidades que valorizamos

Os nove valores defendidos para a Netflix são: Julgamento, Comunicação, Impacto, Curiosidade, Inovação, Coragem, Paixão, Honestidade e Altruísmo.

 

  1. Alta performance

Mais do que qualquer outra coisa, a Netflix valoriza os resultados que as pessoas apresentam.

 

  1. Liberdade e responsabilidade

A Netflix oferece muitos benefícios e uma gestão bastante flexível, mas exige que os funcionários sejam extremamente responsáveis com seu papel na empresa.

 

  1. Contexto, não controle

Lá, os líderes não devem exercer controle sobre as equipes, mas criar um contexto: traçar metas, delegar tarefas, ser transparentes e oferecer objetivos e métricas para ajudar.

 

  1. Altamente alinhada, descentralizada

Todos conhecem os objetivos gerais da empresa, mas cada time tem seus próprios objetivos individuais.

 

  1. Pague o máximo do mercado

A política de salários da Netflix paga o máximo que o mercado pagaria para cada funcionário, com uma revisão anual de valores. “Um funcionário excepcional custa menos que 2 funcionários adequados” é a máxima da empresa.

 

  1. Promoções e desenvolvimento

Para uma pessoa ser promovida na Netflix, precisa ser um exemplo de todos os ideais da empresa, ter uma dedicação acima do normal e ter um pouco de sorte – as vagas são limitadas.

Posts Relacionados

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *