Blockchain: qual o seu futuro?

Blockchain: descubra o que o amanhã reserva para a tecnologia mais comentada dos últimos tempos.

Você com certeza já ouviu falar em Bitcoin, a moeda virtual cujo valor só aumenta e vem atraindo cada vez mais investidores. Se você se interessou a ponto de fazer uma pesquisa sobre o assunto, já deve ter se deparado com o termo blockchain.

O blockchain é a tecnologia por trás do Bitcoin, responsável pelas suas principais características de segurança e criptografia. Mas o que o futuro reserva para ele? Que outras aplicações o blockchain terá num futuro não muito distante e de que forma elas afetarão o nosso dia a dia? Primeiro, precisamos entender exatamente do que ele se trata.

O que é blockchain e como funciona

Basicamente, o blockchain funciona como um livro de registros que armazena todas as operações realizadas. Ao contrário de outros sistemas, porém, ele é compartilhado e universal, presente em todas as partes onde o software é rodado. É uma rede distribuída, onde todos os computadores conectados a ela precisam reconhecer uma transação para que ela seja validada.

As transações acontecem através da comunicação direta entre duas partes, com uma pesada criptografia, sem a presença ou necessidade de um intermediário, e são irreversíveis. As transações são agrupadas em um tipo de “bloco” que contém uma referência ao bloco anterior e são carimbadas com um código (hash). E assim continuamente, formando uma “corrente de blocos”.

Existem alguns outros detalhes sobre o funcionamento do blockchain, mas essa ideia geral serve para dar continuidade ao assunto: pra onde essa tecnologia vai daqui pra frente?

O futuro do blockchain

Criada para garantir que não houvesse gasto duplo nas transações de Bitcoin, a tecnologia do blockchain começou a atrair a atenção de diferentes áreas. Isso graças a sua capacidade de realizar transações seguras, irreversíveis e sem a necessidade de um regulador.

O uso do blockchain em cartórios

Um dos ramos em que a tecnologia do blockchain mais deve criar impacto é o dos cartórios. Atualmente, eles são praticamente a única instituição para a autenticação de documentos, como certidões e escrituras. O blockchain aparece como uma alternativa mais simples, a prova de fraudes, transparente e bem mais barata. Dependendo do ponto de vista, isso pode significar tanto uma oportunidade quanto uma ameaça para o setor cartorário. O fato é que algumas instituições já começaram estudar formas de implantar o blockchain nas suas operações.

Setor imobiliário mais forte com o blockchain

Se no lado dos cartórios ainda existe a preocupação de que o blockchain pode ser uma grave ameaça, no setor imobiliário a expectativa é que ele seja um aliado poderoso. Imagine a compra de um prédio comercial, por exemplo. No lugar de uma complexa transação envolvendo bancos, seguradoras e advogados, temos um registro único, simples e barato de verificar, acompanhar e registrar.

Nessa área, a aplicação também está bastante avançada. Em Roterdã, está sendo criada uma plataforma para registro de contratos de arrendamento utilizando o blockchain.

O blockchain no Mercado Financeiro

Com sua forte criptografia, o blockchain aparece como aposta certeira para o Mercado Financeiro. Operações que normalmente levam dias poderiam ser concluídas em segundos com um nível de segurança sem precedentes.

Alguns bancos já começaram a testar a tecnologia nos seus processos. O único problema, por enquanto, é que o blockchain só consegue processar um número baixo de operações por vez. Mesmo assim, estima-se que até 2025 ele já esteja plenamente incorporado ao Mercado Financeiro, gerando uma economia na casa dos bilhões de dólares.

Outras aplicações

O blockchain também traz benefícios para outras áreas além da bancária e financeira. Algumas startups e empresas de inovação começam a levar a tecnologia para outros caminhos, veja como:

Arte: reivindicar propriedade e emitir impressões numeradas de edição limitada em obras digitas.
Mídia: autenticar fotos e vídeos através de data e hora em que foram gravados.
Importação/Exportação: ligar toda a cadeia de fornecimento, solucionando os problemas dos conhecimentos de embarque.
Genealogia: armazenar o sequenciamento de DNA de uma pessoa no blockchain para fins médicos.

Obstáculos para o blockchain

Mesmo com tantas vantagens aparentes, o blockchain ainda possui alguns obstáculos que precisa superar para começar a ser adotado em larga escala. Um deles está na sua própria natureza. Por ser um projeto de código aberto, existem várias versões circulando e não existe um consenso sobre qual seria a mais adequada para o uso em outros ambientes.

Além disso, apesar de significar uma grande economia em longo prazo, o blockchain exigiria um grande investimento inicial e, em alguns casos, a substituição completa de sistemas já existentes. E ainda tem toda a questão cultural, já que o blockchain precisa da participação de seus usuários e operadores.

Apesar disso tudo, quase todos os especialistas concordam que o blockchain veio pra ficar e que num período não maior do que dez anos, ele vai estar plenamente integrado ao nosso dia a dia. Por isso, o melhor a se fazer é ficar atualizado e prestar atenção nas oportunidades que o blockchain vai trazer para nossas vidas.

Posts Relacionados

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *